Buscar no site:

Cultura organizacional: tão importante quanto perfil da vaga, salário e benefícios

A cultura de uma empresa, de certa forma, é a sua personalidade. Por isso, ter afinidade com o
que a organização “pensa” não é um mero detalhe. Para evitar conflitos futuros, analisar os valores
da corporação pode ser tão importante quanto avaliar o perfil da vaga ou a a remuneração.

— O bom salário, os benefícios e todas as outras vantagens vão ser ótimos no início, mas depois não
serão suficientes para motivar o profissional. Pessoas com princípios muito diferentes do da empresa
sofrem uma pressão enorme e não conseguem render o necessário, o que acaba sendo ruim, tanto para o
profissional quanto para a corporação. Quando alguém se sente parte de uma cultura, defende e
valoriza a empresa, ninguém precisa pedir — afirma o consultor em gestão de pessoas Eduardo Ferraz.

Sandro Gatto, diretor da unidade Rio da Sankhya, empresa especializada em gestão tecnológica,
acredita que logo na seleção o profissional e o empregador devem entender se há conexão entre as
ambições profissionais de ambos os lados.

— O capital intelectual de uma empresa é essencial para o crescimento da mesma. Se entendemos
que a pessoa não tem alinhamento com a cultura organizacional, não tem nem como começar — analisa Gatto.
Caso o profissional, mesmo não tendo identificação com a corporação, seja contratado, quais os
efeitos colaterais que poderiam ser sentidos no ambiente profissional? Para Patrícia Moura,
assistente de RH do escritório de advocacia Chalfin, Goldberg & Vainboim, o rendimento da pessoa
será afetado, comprometendo, assim, a produtividade da empresa.

— As relações interpessoais, fatalmente, também sofrerão interferência negativa, pois não haverá
conexão entre as ideias da equipe e as dessa pessoa, principalmente em relação ao gestor — analisa ela.

Para evitar consequências danosas tanto para o profissional quanto para a empresa, Ferraz aconselha
que se tenha esta preocupação ao analisar o local aonde a pessoa pretende trabalhar.

— Sugiro que, ao participar de um processo de seleção, o candidato procure saber antecipadamente,
mesmo de maneira informal, como é o ambiente corporativo, como são as pessoas, qual o ritmo de
trabalho, como se medem resultados, o que é bem ou mal visto, que estilo de profissionais são
promovidos, como são os chefes e assim por diante.

Tags de assuntos »

Nenhum Comentário Para comentar clique aqui!

Nenhum comentário ainda.

Feed RSS para comentários sobre este post. TrackBack URL

Deixe um comentário

Siga-nos nas redes sociais:

  • Facebook RHFÁCIL

  • Linkedin RHFÁCIL

  • Grupos Yahoo RHFÁCIL

  • Twitter RHFÁCIL

Desenvolvido por MIMETISMO AGÊNCIA INTERNET.
Faça o site de sua empresa conosco!
Todos os direitos reservados à
RHFÁCIL Consultoria 2011-2012.