Buscar no site:

Quando o currículo não é o seu aliado

Não dizem que “a primeira impressão é a que fica”? Pois no caso de recrutamento de profissionais para uma vaga de emprego, essa máxima é mais que verdadeira: o currículo pode derrubar um candidato e não há sequer a chance de uma segunda impressão. A consultoria americana CareerBuilder fez um levantamento de “pérolas” de currículos responsáveis por eliminar candidatos de processos de seleção. A empresa ouviu 2.298 recrutadores. Um candidato destacou que ele foi o príncipe do baile de formatura em 1984. Outro informou que sabia falar “antártico” ao se candidatar para um trabalho na Antártida. E teve ainda um profissional que listou “caçar crocodilos” como uma de suas habilidades. Confira as dicas de headhunters brasileiros para que seu currículo não seja o responsável por sua precipitada exclusão de um processo seletivo.

 

— Um rapaz que concorria a uma vaga na área de gerência de marketing enviou uma foto dele abrindo a camiseta e exibindo uma outra com o logotipo do personagem Superman. Buscamos consistência nos dados dos currículos, não humor. Quando avaliamos o que esse candidato nos apresentava, além da foto irreverente, não encontramos informações consistentes relacionadas a resultados alcançados por ele nas experiências anteriores — conta Andréa Santos, sócia-diretora da Ascend RH, que acredita que fotos não são essenciais nos currículos.

Outro problema citado com recorrência entre os profissionais de RH é o excesso de informações. A maioria afirma que duas páginas é o aceitável e que o poder de síntese é uma característica apreciada.

 

— Um candidato nos enviou um currículo informando ser vice-presidente de um grupo de atabaque. Qual é a relevância disso para alguém que está se candidatando a uma vaga em uma empresa do ramo de alimentação? — questiona Julyana Felicia, gerente de RH da rede MegaMatte.

 

Selma Fredo, consultora de carreira da LHH|DBM, consultoria internacional de desenvolvimento profissional, lembra que não é só o currículo que pode eliminar o candidato:

 

— Se recebemos o documento de um endereço de e-mail com apelidos íntimos ou infantis, já encaramos o que veremos depois com menos seriedade. Também é importante pensar no telefone que informa no currículo. Quem atenderá a ligação está preparado para passar uma boa imagem sua? A mensagem da secretária eletrônica tem gracinhas? Tudo isso tem que ser pensado, porque é, sim, levado em consideração — afirma Selma.

 

Tomar cuidado com a veracidade das informações também é essencial. Você pode declarar determinada qualidade e desmenti-la na linha seguinte.

 

— Se o candidato afirma que tem inglês fluente e escreve errado o nome de um curso na língua inglesa, por exemplo, é muito chato. Não passa a confiança que o recrutador busca e pode ser crucial no sucesso ou não da pessoa — diz Selma.

Porém, criatividade e um pouco de ousadia podem ser bem-vindas. Mas é preciso avaliar para qual cargo e empresa você está se candidatando.

 

— Para as áreas de design e publicidade, por exemplo, pode ser bacana ser menos sisudo na apresentação de seu currículo. Mas o conteúdo não pode ser engraçadinho, a ousadia deve se limitar ao formato, com fontes mais bacanas ou cores — esclarece Ylana Miller, sócia-diretora da Yluminarh Desenvolvimento Profissional e professora de gestão de carreira do Ibmec/RJ.

 

Todas as profissionais são unânimes ao dizer que o bom-senso é essencial na formulação do currículo. O recrutador analisa vários diariamente e se alguma informação não condizer com a política da empresa ou se o documento for muito extenso, você pode até ter as competências necessárias para o cargo, mas não chegará nem a ser avaliado mais profundamente.

Tags de assuntos » , ,

1 Comentário Para comentar clique aqui!

  • Acho extremamente importante um currículo simples que contenha todas as informações necessárias, sou estagiária na área de RH, já ri de alguns, como também quis chorar, hoje em dia infelizmente as pessoas não perguntam como poderá ser um currículo, deveriam se informar melhor para não perderem as oportunidades, assim como os Analistas disseram, o currículo é sua porta de entrada na empresa.
    Gostei bastante do artigo.
    Att.
    Gabriela

    Comentário by Gabriela — 23 de janeiro de 2013 @ 12:53

Feed RSS para comentários sobre este post.

Deixe um comentário

Siga-nos nas redes sociais:

  • Facebook RHFÁCIL

  • Linkedin RHFÁCIL

  • Grupos Yahoo RHFÁCIL

  • Twitter RHFÁCIL

Desenvolvido por MIMETISMO AGÊNCIA INTERNET.
Faça o site de sua empresa conosco!
Todos os direitos reservados à
RHFÁCIL Consultoria 2011-2012.